Jurado Brasil

Foto_Saltando_Muros Maureen Bisilliat
Maureen Bisilliat

Fotógrafa e documentarista, foi bolsista da Fundação Guggenheim (1970), do CNPq (1981-87) e da FAPESP (1984-87). Nascida na Inglaterra chegou ao Brasil em 1952, aqui se radicando, considerando ser este o seu país. Iniciou na fotografia em 1962, tendo atuado por dez anos nas revistas Realidade e Quatro Rodas, em atividades de fotojornalismo. Estas “andanças” resultaram na elaboração de um projeto traçando equivalências fotográficas dos mundos retratados por Euclides da Cunha, Guimarães Rosa, Jorge Amado, João Cabral de Melo Neto, Adriano Suassuna, Adélia Prado e Mário de Andrade. Posteriormente, publicou em livros resultados desse traçado.
De 1972 a 1977, visitou com freqüência o Xingu. Em 1979, lançou, em co-autoria com os irmãos Villas Bôas, Xingu/Terra, instalada na XIII Bienal de São Paulo (1975) incorporando nesta sala um documentário do mesmo nome, realizado com Lúcio Kodato na aldeia Mehinaku no Alto Xingu. Em 1988, foi convidada por Darcy Ribeiro para contribuir na criação de um acervo de arte popular latino-americana, do qual nasceu o Pavilhão da Criatividade no Memorial da América Latina. Foi diretora deste espaço desde sua criação em 1989 até o ano 2009.

Em 2003 o Instituto Moreira Salles adquiriu seu acervo fotográfico publicando, em outubro de 2009, um livro sob título Fotografias / Maureen Bisilliat. Esta publicação foi acompanhada por uma exposição apresentada no Instituto Moreira Salles no Rio de Janeiro, na Galeria Fiesp/Sesi, São Paulo, no Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, no Centro de la Imagen na Cidade do México e no Centro de las Artes de San Luis Potosi. O interesse do Instituto Moreira Salles pela sua obra reavivou o interesse da própria autora pelos seus trabalhos, até então esquecidos nos armários do tempo. O Premio Porto Seguro de Fotografia, a Ordem de Ipiranga, a Ordem do Mérito Cultural e a Ordem de Mérito da Defesa, recebidos todos no ano 2010, indicam a repercussão positiva desta redescoberta.

Foto_Saltando_Muros Rosely Nakagawa
Rosely Nakagawa

Nasceu em São Paulo, em 1954. É arquiteta graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP- SP, com especialização em Museologia (USP) e em Semiótica da Comunicação (PUC SP).

Sócia fundadora das edições João Pereira em 1974, curadora fundadora da galeria FOTOPTICA de 1979 até 1986, foi curadora da Casa da Fotografia FUJI de 1997 a 2004, da Galeria CITIBANK de 1989 a 2002 e das galerias FNAC de 2004 a 2009. Atua como curadora e editora independente.

Realizou exposições como o Panorama da Fotografia Paraense na Casa das Onze Janelas em Belém do Pará, no Memorial da Cultura Cearense onde é membro do Conselho; em São Paulo atua nos espaços Culturais da Caixa Cultural, MASP, Pinacoteca do Estado, Centro Cultural Vergueiro, Cinemateca Brasileira, Itau Cultural , SESC, Fundação Bienal entre outras fundações e galerias particulares.

No exterior, foi curadora de mostras de fotografia contemporânea nos EUA: PS1 Moma, Long Island, Gugguenheim Soho e no Centro de Cultura Brasil EUA em Washington . Realizou mostras no Centro Regional de Fotografia em Douchy les Mines_França em 2004, Festival de Arles_ França em 2006 e no Museu de Estremoz em 2010, Portugal .

No Japão, levou a mostra “MixSintese” de nipobrasileiros para o Centro Metroplolitano de Fotografia Contemporânea, Nagoya em 2009. Em 2011, realizou a mostra “Extreme” no Festival EUROPALIA em Bruxelas, Bélgica em Setembro de 2011.
Na America Latina participou de festivais fazendo leituras de portfólio e workshops no México (Centro de La Imagen 1996 e 2011) e Montevideo (CDF_2012).

Recentemente foi curadora das mostra no Brasil : “Paraísopolis, uma cidade dentro da outra” _ fotografias de Renata Castello Branco no SESC Pompéia (julho agosto 2012) Interior Profundo, fotopinturas de Julio Santos _ na Pinacoteca do Estado de São Paulo_ em cooperação com o Curador Diógenes Moura.

Tem participado de encontros e semanas de fotografia pela FUNARTE desde 1985 no Brasil e exterior e editado livros de fotografia : Thomaz Farkas Fotógrafo (DBA) , Thomaz Farkas Notas de Viagem (Cosac Naif), Encontros com a Fotografia (FNAC_Tempo d’ Imagem) Luis Humberto Fotografo (Tempo d’ Imagem) Julio Santos , Mestre da Fotopintura (Tempo d’ Imagem FUNARTE) Benedito Duarte (Cosac Naif).

Foto_Saltando_Muros Leonor Amarante
Leonor Amarante

Formação acadêmica: 1973 – Comunicação Visual / Artes Plásticas : Fundação Armando Álvares Penteado, FAAP. São Paulo. 1977 – Jornalismo: Fundação Cásper Líbero, São Paulo.

Atuação profissional: 1974/1988 – Repórter de Cultura geral, especialista em artes plásticas: O JORNAL O ESTADO DE S. PAULO. 1982/1983 -Colaboradora do jornal WORLD PAPER BOSTON, EUA. 1986 – Colaboradora da RÁDIO REBELDE de CUBA. 1987/1991 – Crítica de Arte do programa METRÓPOLIS DA TV CULTURA DE SÃO PAULO. 1990/1991 -Editora-adjunta de cultura da REVISTA VEJA. 1992/1995 – Diretora-editora da REVISTA DO MASP – MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO.

Autora dos Livros: O Leão Sem Asas – sobre o artista cubano Kcho; As Bienais de São Paulo, 1951/1987; Renina Katz, 1990. Tradutora para o português dos livros do crítico italiano Achille Bonito Oliva. Curadorias: 1992 – Falsos e Pastiches, no MAC – Museu de Arte Contemporânea de São Paulo, exposição feita a partir de um programa da TV Cultura em que 15 artistas brasileiros falsificaram seus artistas plásticos preferidos; 1994 -Xilogravura do Cordel à Galeria – MASP Museu de Arte de São Paulo, exposição com 134 artistas 687 obras, envolvendo 12 museus e sete universidades brasileiros 1990 – Curadora-adjunta para toda América Latina e Caribe da mostra Art Across the Oceans, Copenhagen, na Dinamarca. 1996 – Curadora do Brasil na mostra Feminino Plural, no MUSEU DE BELAS ARTES DE BUENOS AIRES – 1996 – Curadora da mostra dol artista belga Bram Bogart- PINACOTECA DO ESTADO DE SÃO PAULO; 1996 -Curadora- Adjunta da III Bienal Barro de América da Venezuela, parte brasileira; 1999 – Curadora-Adjunta da II Bienal de Artes Visuais do Mercosul; 2000-Curadora da mostra Diálogo Arte Contemporânea Brasil/Equador – Galeria Marta Traba do Memorial da América Latina y Centro Cultural Puce, Quito; 2000 – Curadora-adjunta da Bienal de Artes Visuais do Mercosul; 2000-2001 – Diretora e editora executiva de Artezero, revista cultural on line; 2001- Curadora- adjunta da parte brasileira da IV Bienal Barro de América / Brasil e Venezuela; 1995/2008 – Editora executiva da revista Nossa América e de todos os livros editados pela Fundação Memorial da América Latina; 2005 – Colaboradora da revista ART IN da Itália, BA da Argentina, Bravo, do Brasil; 2005 – Curadora adjunta da V Bienal Barro de América / Venezuela e Brasil; 2007 – Curadora geral da Bienal del Fin do Mundo- Ushuaia, Argentina; 2010/2013 – Editora da revista Arte Brasileiros e da Nossa América Hoy.

Foto_Saltando_Muros Simonetta Persichetti
Simonetta Persichetti

Jornalista, mestre em Comunicação e Artes e doutora em Psicologia Social.

Escreve sobre fotografia há 30 anos, colaborou com revistas como Íris Foto e Paparazzi. Publicou dois livros: Imagens da Fotografia Brasileira 1, em 1997 e, Imagens da Fotografia Brasileira 2, em 2000. O primeiro livro recebeu o Prêmio Jabuti 1999, na categoria Reportagem. Durante seis anos (1996-2001) escreveu sobre fotografia para o jornal Estado de S. Paulo.

Foi também editora de conteúdo do FOTOSITE, portal de fotografia, e editora de texto da revista REF, da Abrafoto (Associação Brasileira dos Fotógrafos de Publicidade).

Como jornalista trabalhou na Editora Abril (1981-1984); revista IstoÉ (1984-1988); foi editora de imagem na Enciclopédia Larousse Cultural, Editora Universo/Abril Cultural (1988-1989); telejornalismo no SBT (1989-1990); retornando para Editora Abril onde trabalhou no DEDOC, departamento de documentação, no setor de fotografias, como coordenadora da área internacional. (1991-2000).

De 1999 a 2005 foi professora de Teoria da Comunicação (Análise do Texto e da Imagem, Imagens nos Meios de Comunicação e Teoria da Percepção) e de História da Fotografia na Faculdade de Comunicação e Artes do Senac, Bacharelado em Fotografia, além de coordenar o curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Fotografia, na mesma Instituição. É professora de Semiótica e Estética da Imagem na pós-graduação Lato Sensu em Fotografia e no Mestrado em Comunicação Visual – especialização em Fotografia, da UEL (Universidade Estadual de Londrina). Atualmente ministra cursos de teoria da imagem fotográfica no MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo.Colabora com o Caderno2 do jornal Estado de S.Paulo e com a revista Brasileiros. Com o professor Thales Trigo, coordena e edita, desde 2003, a Coleção Senac de Fotografia, publicada pela Editora Senac, São Paulo. Integrante do Conselho Editorial da Revista “Discursos Fotográficos” do Curso de Especialização em Fotografia da UEL (Universidade Estadual de Londrina).

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s